O que é e como fazer um bom marketing de vocações

Descubra como aumentar o número de vocações através do marketing

A Comunicação digital como Proximidade

APROX. 14MIN DE LEITURA

INTRODUÇÃO

“A comunicação, seja onde e como for, abriu horizontes mais amplos para muitas pessoas. Este é um dom de Deus que envolve uma grande responsabilidade. Eu gosto de me referir a esse poder de comunicação como ‘proximidade’.”

Quem disse isso foi o Papa Francisco no 50º Dia Mundial das Comunicações. Essa frase tem um peso muito grande por quem foi dita, mas também no momento que foi dita. Nunca se discutiu tanto a internet e sua influência na vida das pessoas. São inúmeros casos de mentiras, discursos violentos, cultura do cancelamento e polarizações que nunca vivemos de maneira tão intensa. Mas, como sempre foi, a Igreja deve estar no centro de todas as discussões e participante com seu chamado e propósito na vida da sociedade e na continuidade da boa obra.

É um fato que o desafio de estar presente em um ambiente hostil, não é tão simples. Os tempos da pós-verdade – termo que se referencia à relatividade de todos os conceitos – são complexos e exigem uma presença e uma posição para aqueles que desejam acender a chama da vocação religiosa no coração dos jovens e de toda a sociedade.

Então é hora de aprendermos mais sobre como nos comunicarmos num ambiente tecnológico e como usar o marketing a favor das vocações e do carisma.

A forma de se comunicar mudou

Pense que estamos em 1980. O dia começou numa grande capital brasileira. A primeira forma de informação que uma pessoa média recebia, era ligando o rádio ou mesmo assistindo o jornal da manhã na televisão. Alguns, iam à banca e compravam o jornal do dia. Liam, se informaram e conversavam sobre as notícias do dia, que na realidade era um compilado do que havia acontecido no dia anterior.

Claro, isso falando de notícias de alcance nacional, com vasta repercussão. Haviam também as notícias da região, cidade ou mesmo vizinhança. Essas recebiam menor atenção ao mesmo passo que a forma de comunicar mudava.

Num mundo construído com uma velocidade mais lenta de informações, era natural que a maneira de se comunicar e se relacionar seguia um fluxo linear. Mas exatamente nessa década, não exatamente no Brasil, se iniciava o movimento de avanço tecnológico que mudou e muito o comportamento da sociedade como um todo, a sua velocidade de consumo e informação e também a comunicação que impactava todo um povo.

O grande estopim de tudo isso foi gerado com o final da Guerra Fria – o conflito silencioso entre Estados Unidos e União Soviética. No mundo com tecnologia em franco crescimento e incerteza sobre o futuro, surgiu um termo que tentava descrever o que estava ocorrendo: era o mundo VUCA.

Mundo VUCA

Esse termo foi cunhado para descrever as quatro grandes características que todo o planeta estava passando no momento. Ele vem do inglês e vamos colocar a tradução em parênteses ao lado:

  • Volatility (Volatilidade) 
  • Uncertainty (Incerteza) 
  • Complexity (Complexidade) 
  • Ambiguity (Ambiguidade) 

 

Vamos descrever brevemente o que estava sendo proposto no conceito.

Volatilidade

O termo aqui se refere a mudanças bruscas que podem ocorrer. Ou seja, nada está firme e a opinião e comportamento podem mudar com muita constância e com pouca clareza.

Incerteza

Se o mundo estava volátil, a reação subsequente é a incerteza. Como saber qual era o próximo passo a ser dado se nada estava firme e concreto. Era um mundo rodeado por incertezas.

Complexidade

Um mundo que muda frequentemente e que é incerto vai exigir uma maior complexidade para ser entendido, sentido e explicado para todos ao redor. Isso significava que não existia nada tão simples assim.

Ambiguidade

Por fim, a ambiguidade retrata essa falta de clareza no que é proposto e vivido. Ou seja, não existe um só caminho. Com a alta complexidade, mais e mais possibilidades foram abertas sendo impossível ter um único sentido na vida.

Mas, como falamos, o mundo não parou de mudar desde os anos 80. E se comunicação começava a tentar acompanhar as mudanças que começavam a serem mais frequentes neste período, uma verdadeira revolução tecnológica e social estava prestes a ser iniciada na virada do milênio, sentidas principalmente pós-pandemia.

Logo, o mundo VUCA foi aos poucos sendo deixado de lado e para explicar comportamentos e a comunicação foi conceituado outro termo, o mundo BANI.

Mundo BANI

A ideia é muito similar ao mundo VUCA. Mas, obviamente, as palavras e seus significados mudaram. Vamos, novamente colocar no idioma original com a tradução em parênteses:

Brittle (Frágil)
Anxious (Ansioso)
Nonlinear (Não linear)
Incomprehensible (Imcompreensível)

Esse é o dogma moderno e a forma com a qual vivemos atualmente. Vamos a uma breve explicação sobre cada termo.

Frágil

Com as mudanças na sociedade e a chegada da pandemia, pudemos perceber como toda a estrutura econômica, política e social é frágil. Nada está no controle de ninguém e tudo pode ser quebrado ou perdido facilmente.

Ansioso

A crise e a incerteza do amanhã, aliado à fragilidade descrita no primeiro termo, deixou todo mundo mais ansioso e inseguro. O fato é que o senso de urgência e necessidade de sentido de vida e propósito nunca esteve tão claro quanto agora.

Não Linear

Tudo tem acontecido de maneira imprevisível, desproporcional, desconectado e não coordenado. O mundo está realmente nada fácil de seguir, já que não existe mais aquela passividade e até morosidade encontrada há 40 anos, por exemplo.

Incompreensível

Alguém consegue entender realmente como está o mundo atual além do próprio Deus? É fato que todos os eventos desencadeados nos últimos anos fazem com que seja muito difícil de compreender o que está acontecendo. E isso é muito irônico, já que vivemos na dita era da informação.

E o que tudo isso significa? Que a forma de se comunicar mudou, porque o mundo mudou. Não é mais possível continuar com os mesmo métodos e estratégias quando o assunto é despertar vocações.

Logo, vamos falar sobre o que é marketing de vocações?

O que é o marketing de vocações

É possível divulgar as vocações para um público mais amplo que o atual. Na verdade, esse é o grande chamado deste mundo atual. Com a internet cada vez mais veloz, com as pessoas cada vez mais conectadas, com a sociedade cada vez mais insegura e buscando respostas, se faz extremamente urgente o anúncio das vocações ao maior número possível de pessoas.

Imagino que você já usa algumas ferramentas tecnológicas em sua comunidade. Talvez use conversas por WhatsApp, grupos, redes sociais e até vídeos no YouTube. Porém o impacto é de curto alcance. Mesmo que esteja usando canais de grande alcance, como Instagram e YouTube, a realidade é que o objetivo e o foco acabam sendo menores.

Continuando com uma fala do Papa Francisco:

Não é a tecnologia que determina se a comunicação é autêntica ou não, mas sim o coração humano e nossa capacidade de usar com sabedoria os meios à nossa disposição.

Ou seja, a Igreja deve se adaptar à comunidade global e às novas formas de se conectar com as pessoas. Nossa tarefa na Promoção Vocacional (um projeto chamado JORNADA VOCACIONAL), é ajudar os diretores vocacionais a encontrar e nutrir bons candidatos com mídias sociais e internet.


Vamos falar um pouco mais sobre essa estratégia no próximo tópico.

Ações em marketing de vocações

Primeiro de tudo, antes de qualquer passo para a ação, você deve estar bem ciente do que deseja e qual é o seu objetivo. Claro, sabemos que o objetivo final é fazer o Reino de Deus ser conhecido e proclamado em todas as nações. Mas pense em qual é o objetivo da sua Promoção Vocacional. Para encontrar, pense qual é a maior dificuldade hoje em dia. É atrair novos jovens? É manter uma boa frequência? É formar novos vocacionados? Isso tudo influencia na hora de montar as ações.

Tendo isso em mente, vamos detalhar um plano inicial de ações que podem ser feitas para ajudar a atrair e reter novos alunos. 

Blog, blog, blog


Isso mesmo. Eu bati na tecla três vezes para chamar a sua atenção neste tópico. Pense, você mesmo está consumindo um e-book, lendo algumas páginas para tentar compreender mais sobre o mundo e também sobre como pode melhorar sua comunicação. O blog é uma excelente ferramenta de posicionamento em palavras-chave. Por exemplo, quer ser reconhecido como referência em Promoção Vocacional? Escreva muito sobre isso.

Claro, isso deve ser aliado a um bom conteúdo, um site bem construído e que tem alta performance e uma escolha cuidadosa de editorias.

Reputação dentro da internet é imprescindível. Quanto mais seu site tiver, mais pessoas irão te encontrar e mais público você estará tocando. Isso será possível através de uma boa estratégia de conteúdo. Escreva e veja as pessoas indo ao encontro dos seus artigos.

Não sabe bem por onde começar? Vou passar aqui 5 dicas para escrever no site católico:


  • Use temas atuais com a cosmovisão católica
  • Não tenha medo de se posicionar, textos opinativos têm muito valor para o usuário
  • Pegue dogmas da Igreja Católica e escreva numa linguagem simples
  • Use testemunho de vocacionados com fonte de inspiração 
  • Convide alguns bons nomes para colaborar em artigos  

 

Uma dica bônus é usar temas maiores e mais relevantes, que normalmente terão atenção maior do público, para produzir materiais mais robustos. Assim, você captura leads (interessados) e pode trabalhar ações de inbound marketing como e-mail, whats e outros. 

Pescando novos vocacionado


O blog é o que chamamos de crescimento orgânico. Pois você não tem como colocar o seu conteúdo diante de uma pessoa sem que ela esteja te buscando. Mas uma boa estratégia de marketing envolve também ações de mídia paga. Os famosos anúncios.

Principalmente nos grandes canais como Google e Facebook, é praticamente impossível ter um bom crescimento sem fazer investimento. Claro, não é apenas despejar dinheiro e esperar que seu público venha. Novamente, o bom conteúdo vence aqui também. Lembra a autoridade e a reputação que te falei no tópico acima? Aqui ele conta muito. Quanto melhor for a sua performance, melhor desempenho nos anúncios pagos ele terá. Além disso, um bom texto e a definição correta do público podem ajudar a ter resultados jamais imaginados em curto e médio prazo. 

Vídeos em todos os seus formatos


Quantos vídeos você assistiu hoje? Seja no Instagram, no YouTube, no Twitter ou mesmo no TikTok, os vídeos são com toda certeza o carro chefe do conteúdo digital. Normalmente todo mundo passa um bom tempo vendo vídeos curtos e também mais longos. Isso abre uma vertical de ação muito interessante.

O vídeo tem o apelo visual e a comunicação verbalizada que juntos se transformam numa ferramenta poderosa nas mãos da Igreja. Com os vídeos você pode:

– Ter uma roda de conversa sobre um determinado tema
– Entrevista com vocacionados
– Testemunhos fortes e impactantes
– Aulas ou mini-cursos para atrair um maior público
– Vídeos ao vivo com a participação do público com perguntas

As possibilidades são infinitas e muitas delas podem e devem ser trabalhadas paralelamente, inclusive em mais de um canal. É possível transformar um vídeo mais longo que vai para o YouTube, em vários vídeos curtos para o TikTok ou Instagram, por exemplo.

O fato é que com o avanço da internet e a melhoria do seu serviço, inclusive do seu alcance, torna possível fazer muito com vídeos.

Pois bem, falamos muito sobre formato, mas também é interessante falar sobre conteúdo. Claro, demos algumas dicas do que pode ser trabalhado em cada canal, mas é bom falarmos também de como se comunicar com esse público além de um canal específico.

O que fazer para promover a vocação?

É muito importante que promover a vocação esteja enraizada na cultura da sua comunidade. Isso é um chamado de Deus para nossas vidas. Tendo isso posto, é interessante dizer que existem boas formas de trabalhar a cultura e o despertar vocacional.

Vamos falar de três ações simples que vão além da forma e que podem ser encaixados em qualquer uma das ações sugeridas acima. 

1. Use heróis da fé atuais


Por muitas vezes existe um afastamento natural conforme as gerações se passam de histórias que costumávamos ouvir quando éramos mais novos. Nesse sentido, como forma de incentivar e cativar jovens para o chamado, é importante usar bons exemplos de pessoas que vivem pela sua vocação.

A vocação de pessoas reais deve ser apresentada para um público maior, que se acostumou com histórias antigas ou mesmo com grandes nomes que são distantes da sua realidade. 

2. Explore a bíblia 


A Bíblia Sagrada é a revelação de Deus até nós. Ela precisa ser o centro da postura e das ações de todo católico. Por isso, é importantíssimo que seja usada nos canais para a propagação da disciplina vocacional.

Incentive isso em todos os materiais publicados, use a bíblia como base teórica e prática da vida cristã.

 

3. Incentive o serviço cristão 


Outra excelente forma de impactar vidas é incentivar as vocações e as boas obras. Isso pode servir, inclusive, de ações práticas em vídeos e materiais teóricos. Quase como uma lição de casa.

Existe uma necessidade de entendimento que a fé é expressada através das obras, do servir ao Senhor e ao seu irmão. Então, nos materiais de divulgação e ensino, essa verdade não pode estar escondida.

Quer destacar o fundador ou carisma da sua comunidade?

Por que não deixar a Promoção Vocacional Digital para atrair mais visitantes ao seu site? Esta é uma maneira de melhorar sua pegada digital e aumentar as vocações para sua comunidade.

Você já tem um programa de acompanhamento para os contatos que recebe? 

Nós da Kharis somos uma agência focada em marketing católico. Acreditamos que o marketing digital é uma importante ferramenta para esse tempo. Construímos Jornadas Vocacionais que vão te ajudar a encontrar, atrair, conquistar, converter pessoas para a sua comunidade.

Entre em contato conosco hoje sobre o marketing de vocações para sua comunidade religiosa ou diocese!